Entre em contato com a redação: (86) 9426-9799  /  [email protected] / José de Freitas - PI
Escrito por Saraiva    Qui, 10 de Janeiro de 2019 08:04    PDF Imprimir Escrever e-mail
Maduro assume segundo mandato como presidente da Venezuela com legitimidade contestada

Nicolás Maduro assume nesta quinta-feira (10) seu segundo mandado como presidente da Venezuela, quase oito meses após vencer, com quase 70% dos votos, uma eleição fortemente boicotada pela oposição e acusada de irregularidades.

Seu novo mandato não terá o reconhecimento da Assembleia Nacional venezuelana e de diversos países, entre eles os EUA, o Canadá, e do Grupo de Lima, do qual o Brasil faz parte. O Peru, outro membro do grupo, chegou a proibir a entrada de Maduro, seus familiares e da cúpula de seu governo no país.

Ele conta, porém, com o apoio do Supremo venezuelano, que irá conduzir sua posse em uma cerimônia a partir das 12h (horário de Brasília), e a “lealdade absoluta” da Força Armada Nacional Bolivariana, declarada pelo ministro da Defesa, Vladimir Padrino.

Contrariando a Constituição, a posse não terá um juramento do presidente perante a Assembleia Nacional: assim como o órgão não reconhece a legitimidade de sua eleição, ele também não aceita sua autoridade, e considera que o parlamento, controlado pela oposição, está em “situação de desacato”.

O novo mandato tem duração prevista até 2025.

Primeiro mandato

O ex-motorista de ônibus Nicolás Maduro se tornou presidente interino da Venezuela em 2012, durante os últimos meses de vida de Hugo Chávez, de quem é considerado herdeiro político e foi chanceler e vice-presidente.

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, ao lado de seu então vice-presidente, Nicolás Maduro, em dezembro de 2012 — Foto: Marcelo Garcia / Miraflores Press / AP Photo

Indicado por Chávez, ele venceu sua primeira eleição presidencial em 14 de abril de 2013, 40 dias após a morte do líder. Naquela ocasião, venceu por uma margem de 1,59 pontos percentual o candidato oposicionista Henrique Capriles, que não reconheceu a derrota e pediu recontagem de votos. Sua primeira posso foi em 19 de abril do mesmo ano.

Crise

Mas, além de não ter o mesmo carisma e apelo popular de Chávez, Maduro também enfrenta problemas que seu antecessor não conheceu, graças principalmente à crise do petróleo que afetou profundamente o país. A Venezuela tem as maiores reservas de petróleo do mundo -- e o recurso é praticamente a única fonte de receita externa do país.

Como lembra a BBC, entre 2004 e 2015, nos governos de Hugo Chávez e no início do de Nicolás Maduro, o país recebeu US$ 750 bilhões provenientes da venda de petróleo. O governo chavista aproveitou essa chuva dos chamados "petrodólares" para financiar de programas sociais a importações de praticamente tudo que era consumido no país.

Mas, em 2014, o preço do petróleo desabou. Além de receber menos dinheiro por seu principal produto, a Venezuela também teve uma queda significativa na produção.

O Estado ainda viu seus gastos públicos aumentarem para conseguir manter os programas sociais. A dívida externa aumentou em cinco vezes.

Ao tentar supervalorizar a moeda venezuelana, o governo provocou distorções de valores que, além de causarem a crise de desabastecimento, contribuíram para um cenário de hiperinflação.

Nicolás Maduro mostra nota de bolívar soberano, moeda que passou a valer na Venezuela em 2018 — Foto: Miraflores Palace/Handout via Reuters

Para tentar conter uma inflação prevista de 1 milhão por cento ao ano, em agosto de 2018 o governo lançou um pacote econômico, incluindo entre as medidas o corte de cinco zeros da moeda local, que passou a se chamar bolívar soberano, e um novo câmbio, que previa 96% de desvalorização da moeda do país.

Em novembro, Maduro aumentou o salário mínimo mensal em 150%, para 4,5 bolívares, menos de US$ 10 na taxa de câmbio do mercado negro. Os cidadãos reclamaram que não podiam pagar itens básicos, apesar de um aumento de 60 vezes no valor do salário mínimo em agosto.

Nicolás Maduro atribui a maior parte dos problemas econômicos da Venezuela a sanções e boicotes dos Estados Unidos e seus aliados. Na terça-feira (8), inclusive, o governo venezuelano enviou à Organização Mundial de Comércio (OMC) uma reclamação formal, na qual diz que os EUA “impuseram certas medidas coercitivas de restrição comercial com a República Bolivariana da Venezuela, no contexto de tentativas de isolamento econômico da Venezuela”.

Protestos e eleições

O governo de Maduro enfrenta protestos praticamente desde seu início e reponde violentamente: em 2014, 43 pessoas morreram entre fevereiro e junho e o líder oposicionista Leopoldo López foi preso.

Guardas venezuelanos confrontam manifestantes anti-governo em protesto em Caracas, em foto de 12 de abril de 2014 — Foto: Carlos Garcia Rawlins/Reuters

Em 2015, o chavismo perdeu o controle do Parlamento e em 2016 o Supremo declarou que a Câmara estava “em desacato”. Desde então, Maduro não presta contas aos deputados, enquanto o restante dos poderes públicos, próximos do Poder Executivo, não levam em conta as decisões do Legislativo.

Em março de 2017, o Tribunal Supremo de Justiça retirou do Congresso o poder de legislar. Foi também em 2017 que o país teve o auge de seus protestos: iniciados em abril e com mais de 100 dias de duração, deixaram um saldo de ao menos 100 mortos.

Nicolás Maduro proibiu todas as manifestações públicas e realizou eleições para uma nova Assembleia Constituinte, com atribuições quase ilimitadas, mas que não foi reconhecida por boa parte da comunidade internacional.

Mulher carrega um cartaz com a mensagem ‘Não à fraude eleitoral com um Conselho Eleitoral Nacional viciado. Não vote’ durante protesto contra as eleições presidenciais em Caracas, na Venezuela, em 16 de maio de 2018 — Foto: AP Photo/Ariana Cubillos

Mais oposicionistas foram presos, os protestos perderam intensidade e a população passou a boicotar ainda mais os processos eleitorais. Os índices de abstenção são cada vez maiores – o voto não é obrigatório na Venezuela: chegaram a 54% nas eleições presidenciais de maio de 2017 e, sem números oficiais, tiveram estimativas ainda mais altas nas votações para prefeito em dezembro do mesmo ano (nas quais muitos partidos foram proibidos de concorrer) e para vereador em dezembro de 2018.

Êxodo

Mesmo os venezuelanos que têm emprego não conseguem adquirir produtos básicos há anos. Em alguns lugares, pessoas chegam a comprar carne estragada para consumir proteína, a escassez de medicamentos em hospitais alcança 88% e é difícil até enterrar ou cremar os mortos.

Ponte que liga San Antônio del Táchira, na Venezuela, a Villa Del Rosário, do lado colombiano, se tornou símbolo do êxodo de venezuelanos — Foto: Carlos Eduardo Ramirez/Reuters

De acordo com a Pesquisa sobre Condições de Vida (Encovi), realizada anualmente pelas principais universidades da Venezuela, os venezuelanos perderam em média 11 quilos em 2017. Seis em cada dez admitiam já terem ido dormir com fome por falta de comida.

Nicolás Maduro, no dia de sua primeira posse como presidente da Venezuela, em 19 de abril de 2013, ao lado de Cilia Flores — Foto: Ariana Cubillos/AP

Mais preocupados do que em votar e tentar mudar o país, muitos têm decidido simplesmente ir embora.

De acordo com agências da ONU, cerca de três milhões de venezuelanos vivem no exterior, dos quais pelo menos 2,3 milhões deixaram a Venezuela a partir de 2015. A maioria deles viajou para a Colômbia e o Peru.

A ONU calcula ainda que, até o final de 2019, haverá 5,3 milhões de refugiados e migrantes venezuelanos.

Copyright © 2019 G1/MUNDO. Todos os direitos reservados

 

Adicionar comentário

Todo conteúdo, imagem e/ou opiniões constantes nas matérias relacionadas e esta coluna, são de responsabilidade civil e penal exclusiva do blogueiro/correspondente. O material aqui divulgado não mantém qualquer relação com a opinião editorial do Portal Saraiva Repórter.


Código de segurança
Atualizar

Novidades

Leilão de 12 aeroportos deve arrecadar mínimo de R$ 2,1 bilh

News image

O governo federal tem a meta mínima de arrecadar R$ 2,1 bilhões (valor de outorga) com a concessão de 12 aeroportos, em três blocos regionais, no leilão de hoje (15), a ...

Leia mais

STF decide que Justiça Eleitoral pode julgar corrupção da La

News image

Por 6 votos a 5, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu hoje (14) a favor da competência da Justiça Eleitoral para investigar casos de corrupção quando envolverem simultaneamente caixa 2 de...

Leia mais

STF mantém decisão que impede retorno de presos federais aos

News image

A Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) manteve a decisão individual do ministro Alexandre de Moraes que rejeitou o retorno de detentos de presídios federais para penitenciárias estaduais. A ...

Leia mais

Bolsonaro diz que vai atuar para restabelecer democracia na

News image

Depois da reunião no Palácio do Planalto, o presidente Jair Bolsonaro manifestou publicamente seu apoio ao presidente autodeclarado interino da Venezuela, Juan Guaidó. Em declaração à imprensa, na tarde de ho...

Leia mais

Oito executivos da Vale são presos por responsabilidade em B

News image

As Polícias Civil e Militar de Minas Gerais deflagraram, na manhã desta sexta (15), operação para prender temporariamente oito executivos da Vale acusados de envolvimento na tragédia de Brumadinho. A ...

Leia mais

PREVIDÊNCIA: Governo propõe idade mínima de 65 anos para hom

News image

O presidente Jair Bolsonaro e a equipe econômica do governo decidiram que a proposta de reforma da Previdência fixará uma idade mínima de 65 anos para aposentadoria de homens e ...

Leia mais

Bolsonaro diz que hoje “bate o martelo” sobre reforma da Pre

News image

O presidente Jair Bolsonaro disse que pretende “bater o martelo” hoje (14) sobre a proposta da reforma da Previdência que será encaminhada pelo governo federal ao Congresso. Segundo ele, será ...

Leia mais

Dez jovens atletas do Flamengo morrem em incêndio no Centro

News image

Dez jovens atletas do Flamengo morreram em um incêndio em um alojamento no Ninho do Urubu, na Zona Oeste do Rio, no início da manhã desta sexta-feira ...

Leia mais

Corpo encontrado no Canal da Mancha é de Emiliano Sala

News image

O corpo encontrado na noite de quarta-feira no avião no Canal da Mancha é de Emiliano Sala, o atacante argentino que viajava da França para Cardiff, quando aconteceu o acidente. ...

Leia mais

Chuva deixa 5 mortos, causa deslizamentos e quedas de árvore

News image

Cinco pessoas morreram e uma está desaparecida depois da tempestade da noite da quarta-feira (6) no Grande Rio. A forte chuva acompanhada de ventania causou apagões, derrubou árvores, alagou vias e ...

Leia mais

Lula é condenado a 12 anos de prisão em processo sobre sítio

News image

A juíza federal Gabriela Hardt condenou ontem (6) o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva a 12 anos e 11 meses de prisão na ação penal sobre as reformas realizadas no Sítio ...

Leia mais

Comitê avalia que desastre em Brumadinho pode ser maior do q

News image

Equipe do comitê de crise do governo federal, criado para acompanhar o rompimento de uma barragem de Brumadinho, em Minas Gerais, avalia que o desastre do início da tarde desta sexta-feira, ...

Leia mais

PF prende ex-governador do Paraná, Beto Richa, na Lava Jato

News image

O ex-governador do Paraná Beto Richa (PSDB) foi preso por agentes da Polícia Federal nesta sexta-feira, 25. O tucano foi detido por volta das 7 horas. A prisão preventiva foi ...

Leia mais

Marco Aurélio sinaliza que rejeitará pedido de Flávio Bolson

News image

O ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), sinalizou nesta sexta-feira (18) ao Estadão/Broadcast Político que deve rejeitar a reclamação apresentada pelo deputado estadual e senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-SL) para ...

Leia mais

Inep divulga o resultado do Enem 2018; veja como consultar a

News image

As notas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2018 foram divulgadas na manhã desta sexta-feira (18). Para acessar, os candidatos que fizeram o exame devem entrar na Página do Pa...

Leia mais

More in: Novidades

-
+
3

Your are currently browsing this site with Internet Explorer 6 (IE6).

Your current web browser must be updated to version 7 of Internet Explorer (IE7) to take advantage of all of template's capabilities.

Why should I upgrade to Internet Explorer 7? Microsoft has redesigned Internet Explorer from the ground up, with better security, new capabilities, and a whole new interface. Many changes resulted from the feedback of millions of users who tested prerelease versions of the new browser. The most compelling reason to upgrade is the improved security. The Internet of today is not the Internet of five years ago. There are dangers that simply didn't exist back in 2001, when Internet Explorer 6 was released to the world. Internet Explorer 7 makes surfing the web fundamentally safer by offering greater protection against viruses, spyware, and other online risks.

Get free downloads for Internet Explorer 7, including recommended updates as they become available. To download Internet Explorer 7 in the language of your choice, please visit the Internet Explorer 7 worldwide page.